Em parceria com a Embrapa Uvas e Vinho de Bento Gonçalves e com o apoio das Universidades de Geisenheim, na Alemanha e de Lisboa, no Portugal, e da Escola SupAgro de Montpellier, o produtor procurou a localização mais adequada para a implantação de um vinhedo no objetivo de produzir um vinho de qualidade superior.

A pesquisa da localização mais adequada é o resultado de um estudo meteorológico. Este estudo reúne 39 anos de observação da umidade relativa do ar, somas dos dias de frio (para levantar a dormência), amplitudes térmicas, temperaturas minimas e máximas, geadas tardias, períodos de chuva, possibilidade de estresse hídrico, horas de ensoleiramento e o estudo dos ventos dominantes nas principais regiões brasileiras.

Essa pesquisa permitiu definir uma região onde o uso de agrotóxicos contra doenças criptogâmicas pode ser limitado ao máximo, e onde não se faz necessário o uso de cianamida de hidrogeno (Dormex) para levantar a dormência. Assim, completada por uma analise pedológica, essa pesquisa permitiu definir a região ideal para a produção de um vinho de qualidade superior.

Do ponto de vista ambiental, a região selecionada pertence a um ecossistema chamado BioPampa ou Pampa Gaúcha. Esse ecossistema caracteriza-se por grandes planícies e um bioma único. A palavra Pampa é um termo indígena que significa “região plana”. Esta região localiza-se acima doAquífero Guarani, segunda maior reserva de água doce no mundo.

Assim, a gestão dos vinhedos procura a agricultura razoada para evoluir para a agricultura orgânica. De fato, essa região é a unica do Brasil a produzir vinhos orgânicos.

A escolha da região e o modo de gestão do vinhedo procuram o maior respeito ambiental possível.